A fonte de consolo, de alento, de resistência deve residir dentro de nós próprios. Por muitos amigos, por muitos suportes ou ânimos existentes, cada pessoa tem as suas prioridades e essas, indubitavelmente, estão acima do teu próprio bem-estar. Tu és o único responsável pelo teu próprio bem-estar. Tens o dever de renovar as tuas energias. Tens a obrigação de te levantares, após teres uma mão ou um joelho esfolados da queda, e continuares o caminho. Não vale a pena criticar ou julgar, ou mesmo enunciar o princípio do egoísmo, porque ninguém tem a obrigação de te consolar cada vez que cais ou tropeças. Aliás, a diferença entre os fracos e os fortes, é que os segundos encontram força, esperança, vida interiormente, já os primeiros buscam-na nos outros. Considero-me uma pessoa razoavelmente robusta, pois, diariamente, reencontro vitalidade dentro de mim para que possa progredir. Afinal de contas, no final do dia, mais ninguém, além de ti próprio, estará preocupado com as rasteiras que a vida te prega.
Por isso: sorri e diz que estás bem, porque, sinceramente, ninguém se preocupa contigo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

«Para bom entendedor, meia palavra basta»

Biografia

A minha foto
Natural de Neuchâtel, Suíça. Actualmente, vivo em Coimbra, Portugal.

Apreciadores