How to be
Agora vês o reflexo do espelho. Observas cada pormenor, parece-te impossível. É uma imagem degradante, horrorosa. A tua vontade é de fechar os olhos, e deixar de observar tal coisa. Mas, no momento em que esperas esquecer aquela profunda e real imagem reflectida num simples pedaço insignificante de vidro pensas: «sou eu aquele». E desejavas nunca tal coisa ter acontecido. Como foi possível? Deixaste de ser quem eras, por receio de não seres aceite na sociedade, no teu grupo de amizades e também na tua família. Que tremendo erro! Erraste novamente. Nunca deverias ter pensado mudar, quanto mais fazê-lo. E agora olhaste novamente em direcção ao espelho e viste quem eras. Um monstro. Nos teus olhos pareceste com tal... que coisa mais deprimente. De que forma irás remendar os teus erros, e deixar de sofrer com as consequências? Tentar voltar atrás, e voltares ao que eras. Uma pessoa sã e feliz. Felicidade era algo que te atormentava todos os dias, logo ao acordar. Um belo sorriso enchia-te o rosto e um brilho nos olhos permanecia durante o dia inteiro. À noite como habitual deitavas-te, o sono era sempre profundo... sonhavas sempre com algo bonito. E na manhã seguinte quando acordavas reparavas que tudo o que na vida existia, neste caso na tua vida existia era tudo verdadeiro, e apelativo. Mas, passado uns anos algo fez-te mudar, pensado que seria para melhor. Tinha-te tão dominado que fez-te cair num abismo sem fundo... tropeções, arranhões, cortes, sangue. Tudo que hoje possuís no teu corpo é um dos factores dessa tua miserável decadência. Chega disto! Enfrenta os teus medos, e sê homem. Uma vez na vida luta pela tua própria felicidade, não faças como antigamente... esperavas que ela chegasse logo ao acordar. Enfrenta tudo e todos! Sê forte, tu consegues. Pensa como antes, pensavas: «sou feliz e serei sempre». Pensa com o coração e raciocina com a cabeça. Assim irás longe um dia mais tarde. Chega desta depressão, chega de quedas, tropeções, torturas ou mágoas. Chega de coisas tristes! Chega, é o limite. Impõem-te perante o mundo. É teu, pertence-te cada suspiro feito, cada batimento dado, cada segundo passado. Tudo te pertence. Cabe a ti decidir qual é a melhor opção para iniciar a vida. Amor terás imenso para dar e receber, e tempo esse... será infinito. Força, já és um homem, comporta-te como tal! Afinal de contas:

«YOU'RE NOT NOBODY, YOU'RE SOMEBODY»

3 comentários:

  1. o rob nesse filme parece um paneleiro, que crime! o meu ROB ;O
    olha amor, aquilo que me resta dizer é que continues a escrever SEMPRE! porque eu adoro os teus textos. já me tornei fã :D
    escreves de forma tão sincera, tão linda (...)

    olha, amo-te e amo o que escreves! (L)

    ResponderEliminar

«Para bom entendedor, meia palavra basta»

Biografia

A minha foto
Natural de Neuchâtel, Suíça. Actualmente, vivo em Coimbra, Portugal.

Apreciadores